Brasil bom de copo: as bebidas típicas de cada região

bebidas típicas de cada região

Se você é adepto do turismo gastronômico, sabe que um destino pode conquistar (ou decepcionar) pelo estômago. Sem menosprezar o bom feijão com arroz, adoramos experimentar comidas típicas e temperos exóticos!

Também somos atraídos pelas qualidades etílicas de um destino, que podem provocar desvios de percurso durante uma viagem. Quem nunca parou para visitar um alambique de produção artesanal?

Sabemos bem que o Brasil não é só carnaval e caipirinha, nossa cultura abrange uma diversidade de sabores com alto potencial inebriante. Por isso, elaboramos um mapa das bebidas típicas brasileiras, para você traçar seu próximo roteiro.

Bebidas típicas da Região Sul

  • A Serra Gaúcha tem um conhecido tour dos vinhos e uma menos conhecida rota da cerveja: O primeiro se concentra no Vale dos Vinhedos, que inclui vinícolas de Bento Gonçalves, Garibaldi e Monte Belo do Sul. A região é a principal produtora de vinhos e espumantes do Brasil. Já a rota cervejeira foi “lançada” em 2015 para degustação de cervejas artesanais fabricadas em Gramado, Canela e Nova Petrópolis. A cidade de Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, também ganhou recentemente uma rota de cervejas.
  • A tradicional Oktoberfest foi importada da Alemanha para Blumenau e também ganhou o coração dos brasileiros, que encontram rótulos germânicos, além de música, dança e gastronomia típicas.
  • Outra opção para quem pretende ir além do chimarrão é a canha, produzida a partir da destilação do suco fermentado da cana-de-açúcar. Ela é conhecida em outras regiões, mas ganhou destaque no Litoral Norte do Rio Grande do Sul.

Bebidas típicas da Região Sudeste

  • O Sudeste se destaca etilicamente pela cachaça de Minas Gerais e de Paraty, no Rio de Janeiro. Em Minas Gerais, a lista das cidades produtoras é extensa: Ouro Preto, Betim, Salinas, Tiradentes e Januária são alguns destaques. Paraty, no sul do Rio de Janeiro, é referência na produção de cachaça desde o período colonial. O Festival da Pinga é um dos eventos mais tradicionais da cidade e terá sua 35ª edição entre os dias 17 e 20 de agosto. 
  • Em São Paulo, o destaque é para a rota de vinhos de São Roque, a 66km da capital. Na Estrada do Vinho, o visitante pode conhecer vinícolas, colher uvas e degustar vinhos recém-fabricados, curtindo uma paisagem de encher os olhos.
  • E foi no interior de São Paulo que nasceu a caipirinha, drinque que ganhou fama internacional e se tornou praticamente um patrimônio cultural brasileiro.
  • Para não ficar de fora, o Espírito Santo tem a sua tradicional Xiboquinha, que combina cachaça, cravo, canela, limão, gengibre e ervas, compondo um sabor adocicado. A bebida favorita dos forrozeiros de Itaúnas compete com o cipó-cravo, cachaça curtida com a madeira do cipó.

Bebidas típicas da Região Nordeste

  • Nosso imaginário quer logo pensar na cajuína cristalina em Teresina, a bebida feita com suco de caju, sem álcool, que deve ser provada por todos os brasileiros. Mas mantendo nossa linha de raciocínio etílico, destacamos o vinho de caju, também produzido no Piauí, a partir da fermentação da fruta.
  • A tiquira é outra bebida típica do Nordeste, uma aguardente destilada da mandioca muito popular no Maranhão, Piauí e Ceará. A coloração roxa é 100% natural e a receita tem origem indígena, com produção exclusivamente artesanal.
  • Também é comum encontrar os mais variados licores e aguardentes feitos com frutas regionais.

Bebidas típicas da Região Norte

  • A cachaça de jambu é tradicional do Pará, mas já ganhou o território brasileiro com a sensação de formigamento que deixa na boca. A erva é bastante usada na culinária amazônica, por exemplo, como condimento no molho de tucupi.
  • Outra bebida de origem indígena é o aluá, com baixíssimo teor alcoólico, produzido com a fermentação da casca de abacaxi, em Belém, ou do milho triturado, no Acre e na Amazônia.
  • Enquanto no Paraná a gengibirra é um popular refrigerante de gengibre, no Amapá a bebida homônima leva cachaça, açúcar caramelado e cravos da índia, além do gengibre, e é servida nas rodas de batuque.

Bebidas típicas da Região Centro-Oeste

  • O ponche goiano leva maçã, laranja, morango, açúcar, calda de abacaxi, vinho tinto, vinho branco e água mineral com gás. Outro drinque da região Centro-Oeste é o leite de onça, feito com cachaça, leite de coco, leite condensado e açúcar, apreciado em todo o Brasil.
  • Entre os licores, destacam-se jabuticaba, pequi e jenipapo, entre muito outros sabores locais.
  • O vinho de caju também faz sucesso na região.

Deixamos alguma bebida de fora? Comente suas sugestões em nosso post no Facebook e nos ajude a aumentar essa lista.

Escolha o seu próximo destino e aprecie com moderação!