Tipos de peeling para uma pele mais uniforme e bonita

Além do envelhecimento precoce da pele, o excesso de exposição ao sol, a gravidez e até as luzes dos computadores são alguns dos motivos para o aparecimento de manchas na pele, como melasma, por exemplo. Para renovar as células e amenizar os efeitos, nada melhor que peeling.

O procedimento estético, que consiste na retirada de camadas superficiais da pele estimulando a regeneração é bastante seguro e prático. Por isso, nossa equipe selecionou os principais tipos de peelings para você conhecer.

Ah! Mas não deixe de procurar um especialista para saber qual o tratamento mais indicado para o seu tipo de pele. A dica é aproveitar que estamos chegando na melhor época do ano para fazer o procedimento, que é no outono/inverno, período em que a gente fica com menos exposição ao sol forte.  

Peeling de cristal

A esfoliação é feita com cristais de óxido de alumínio ou com ponteiras de diamante. Com isso, o tratamento é bem tranquilo e indicado para a remoção de manchas mais superficiais, cravos, espinhas rugas e até algumas estrias. O procedimento é recomendado para qualquer tonalidade de pele, porém, as mais finas devem passar por outros tipos de peeling, já que trata-se de uma microdermoabrasão. Além disso, é o mais indicado para grávidas, no entanto, é preciso a liberação do médico. Quanto aos efeitos, eles já podem ser observados após a primeira sessão do procedimento. Vale muito a pena.

Peeling de diamante

Assim como o de cristal, o peeling de diamante consiste em uma microesfoliação para remover a camada externa da pele e estimular a renovação do tecido. Porém, ele é indicado para quem tem a pele mais espessa. Após o procedimento, é comum a pele escamar e ficar avermelhada por alguns dias. Não precisa se preocupar.

Peeling a laser  

Trata-se do descamamento da pele para renovar as células e desacelerar a produção de melanina. O procedimento a laser pode atingir diferentes camadas, sendo cada uma delas para tratamentos específicos. Confira:

  • Superficial: para sardas, poros dilatados e manchas leves.
  • Médio: manchas, cicatrizes profundas e pequenas rugas.
  • Profundo: manchas, pele envelhecida e cicatrizes de acne profundas.

A recomendação é de que o tratamento seja feito mensalmente ou com intervalos de seis meses entre uma sessão e outra, pois o excesso pode deixar a pele fragilizada e ainda causar outros problemas.

Peeling à base de ácidos

Estimula o crescimento de novas células e faz com que a pele fique com uma textura mais lisa e um aspecto mais saudável. Para o tratamento, são utilizados ácidos retinóico, fenol ou glicólico. Assim como nos outros tipos de peeling, os resultados também já aparecem após a primeira sessão.

Cuidados antes e pós-peelings

Independente do tratamento adotado, não podemos esquecer de um item fundamental: o filtro solar (Bial feelings). Isso porque ele a protege a pele dos raios ultravioletas, que aceleram o envelhecimento e causam as manchas indesejadas. Quem faz peeling deve redobrar a atenção, porque esses procedimentos deixam a pele ainda mais sensível. Então, não se esqueça de aplicar o protetor a cada 4 horas nas partes mais expostas do corpo – como rosto, colo, braços e mãos.

Agora que você já sabe a diferença entre os principais tipos de peeling, confira as ofertas do Peixe Urbano e deixe a sua pele ainda mais maravilhosa. Que tal?

Leia também:

5 dicas de cuidados básicos para o rosto

Saiba o que fazer para ter sobrancelhas perfeitas

Truques de beleza para ficar ainda mais incrível