Bicicleta na rua: um carro a menos

bicicleta na rua

Qualidade de vida sobre duas rodas: a bicicleta é uma excelente opção de transporte, tanto para pequenos deslocamentos, como para quem trabalha perto de casa e opta pela “magrela” para fazer esse trajeto diariamente.

Um estudo realizado no Reino Unido e publicado em abril de 2017 mostrou que o deslocamento ativo (a pé ou de bicicleta) está relacionado a riscos menores de desenvolver doenças cardíacas e câncer, comparado ao deslocamento não ativo (carro ou transporte público) – sendo a bicicleta ainda mais benéfica que as caminhadas.

Porém, nem sempre o uso da “magrela” para se deslocar depende apenas da vontade do ciclista. É preciso que toda uma cidade se torne amigável às bicicletas, o que envolve uma série de debates e ações de infraestrutura. O resultado pode ser uma Amsterdã, onde 63% dos habitantes pedalam diariamente, sendo a bicicleta o principal meio de transporte da cidade.


Bons motivos para pedalar

  • Rápido deslocamento, dependendo do trajeto, se comparado ao tempo gasto no trânsito.
  • Menos gastos com combustível, estacionamento e manutenção do carro.
  • Menos estresse no trajeto, pois além de evitar o trânsito, a pedalada libera endorfinas que contribuem para o relaxamento muscular e mental.
  • A bicicleta não polui o ar, como os automóveis.
  • Vida longa e próspera, já que atividades físicas regulares podem prevenir doenças cardíacas e AVCs, hipertensão, diabetes e outras patologias, além de melhorar o condicionamento físico.

Por onde começar

  • Tire a sua bicicleta da garagem e verifique o estado dos freios, correntes e pneus. Leve na oficina ou loja especializada para um check-up.
  • Equipe sua bicicleta com cesta frontal e alforge (bagageiro), assim você pode acomodar sua bolsa ou levar roupas para trocar.
  • Se você está há um tempo sem pedalar, é recomendável “desenferrujar” antes de andar de bicicleta na rua. Aproveite o fim de semana para ficar mais esperto no trânsito e melhorar o condicionamento físico.
  • Pesquise as melhores rotas de ida e volta, dando preferência a ruas menores e menos movimentadas. Na dúvida, consulte o Bike Anjo (assessoria gratuita de ciclistas experientes, que sugerem trajetos, dão dicas e acompanham suas primeiras pedaladas).
  • Procure grupos de pedalada na sua cidade. São uma forma mais segura de começar a andar de bicicleta na rua, explorar espaços urbanos e desenvolver agilidade no trânsito.

Recomendações de segurança

  • Iluminação: use sempre luz branca na frente e vermelha atrás, para ser facilmente identificado pelos motoristas. Os refletivos que vêm com a bicicleta, obrigatórios por lei, são pouco eficientes.
  • Capacete e luvas: não são obrigatórios, mas o uso é recomendado. Os capacetes diminuem a chance de traumatismo craniano, se houver um acidente. Já as luvas protegem as mãos em caso de queda, mas também do frio, no inverno, e de possíveis irritações na pele, ao segurar continuamente o guidão.
  • Não pedale na contramão: pedestres e veículos olham apenas a direção de onde os carros vêm, ao atravessar, sair da garagem ou fazer manobras. Além disso, a velocidade em que o ciclista se aproxima do carro é maior se ele vier na contramão, diminuindo o tempo de reação e desvio.
  • Atenção às portas: ao estacionar e descer do carro, motoristas e passageiros costumam observar outros veículos antes de abrir a porta, mas nem sempre notam as bicicletas. Mantenha uma distância segura para não ser derrubado.
  • Use a faixa da direita, ela é mais segura por ser destinada a veículos em menor velocidade. Mas não fique muito no canto, pois o motorista vai dirigir ao seu lado, ocupando a mesma faixa que você. O ideal é se posicionar aproximadamente na linha de um terço da pista (se ocupar a pista toda, pode dificultar a ultrapassagem).
  • Pistas exclusivas de ônibus: o ideal é evitar avenidas com corredores de ônibus, mas se não der, é mais seguro ficar na faixa à esquerda da pista exclusiva.
  • Sinalize seu trajeto com gestos de mão, ao virar à esquerda ou à direita, e para outras ações, como pedir ou oferecer passagem.
  • Calçada e pedestres: ao passar pela calçada ou atravessar na faixa de pedestres, você deve descer da bicicleta. A regra está prevista no código de trânsito e deve ser respeitada, pois pedestres de costas podem parar de repente, veículos podem sair da garagem, idosos podem se assustar com a bicicleta, entre outras situações.
  • Semáforo: a regra também vale para ciclistas, não ultrapasse o sinal vermelho.

Eca, vou chegar suado no trabalho

  • Leve uma muda de roupa ou deixe alguns itens no escritório (como paletó ou sapato de salto alto).
  • Saia com antecedência, para pedalar com calma e ter tempo de se recompor ao chegar.
  • Se não puder tomar banho no trabalho, use lenços umedecidos e desodorante.
  • Atenção ao clima: use protetor solar e óculos escuros em dias mais ensolarados e leve capa de chuva em dias nublados.

Sem mais desculpas para pedalar. Confira os modelos de bicicleta disponíveis no Peixe Urbano e comece a mudar sua rotina. O céu é o limite!

et o extraterrestre bicicletas