Curiosidades sobre o circo, arte que encanta mundo afora

“Respeitável público”. É impossível ouvir essa frase e não lembrar dos picadeiros, dos malabaristas ou dos palhaços, ícones da arte circense. O circo é uma das expressões artísticas que sobreviveram a todas as revoluções culturais, políticas e sociais no mundo. Os mais modernos ganharam ares de espetáculo, como a companhia canadense Cirque du Soleil, que tem até estrela na calçada da fama.

No Brasil, com status de bem do patrimônio cultural do país, por ter grande influência na história do teatro, da música, dos discos e do cinema, o circo tem um dia dedicado a ele: 27 de março. A data foi criada em homenagem ao palhaço brasileiro Abelardo Pinto, popularmente conhecido como Piolin. Nascido em 1897 no interior de São Paulo, Piolin se destacava pela sua criatividade cômica e habilidade como ginasta e equilibrista. Em comemoração à data, a nossa equipe listou algumas curiosidades para você saber mais sobre o circo. Confira!

Origem

A arte circense surgiu há mais de 5 mil anos na China e não tinha nada a ver com diversão. Acrobacia, contorcionismo e equilibrismo eram usados para treinar os guerreiros. Porém, um século antes de Cristo, o imperador chinês começou a pedir que fossem feitas apresentações acrobáticas em homenagem aos viajantes. Depois disso, os espetáculos começaram a fazer parte do Festival da Lua, um dos principais feriados do país.

O circo em si surgiu na Roma Antiga. Naquela época, a área – chamada Circo Maximus – era dividida entre arquibancada e cavalarias, onde aconteciam corridas de cavalos, combates de gladiadores, entre outras atrações.

Palhaços

Os primeiros palhaços, segundo historiadores, surgiram no Egito antigo e eram parecidos com os bobos da corte da Europa na Idade Média. Além disso, eles tinham  importantes papéis sociais e, muitas vezes, andavam junto com o rei ou imperador. Também há relatos de figuras semelhantes ao palhaço contemporâneo na China, Grécia, Roma e até em civilizações americanas, como os astecas.

Circo no Brasil

O Brasil só recebeu seu primeiro circo no fim do século XIX, trazido pela família Wassilnovich. Aqui, ela passou a ser chamada de família Silva. Você tem esse sobrenome? Então, provavelmente, pode ter sangue circense. Já pensou nisso?  

Ah! E até os anos 60, o circo era uma das únicas atrações que chegavam a todos os municípios brasileiros. Na época, nem mesmo o rádio conseguia essa façanha. Os espetáculos eram completos, com música, dança, teatro, acrobacias, mágicas e números com elefantes e leões. Décadas depois, por serem cruéis, os treinamentos foram proibidos em muitos lugares e, atualmente, os animais selvagens já não são mais usados na maior parte do Brasil e do mundo (a gente agradece)!

Escolas para nômades

Sabia que os filhos de profissionais do circo têm direito a frequentar normalmente as escolas da região onde o espetáculo está em cartaz no Brasil? Como muitas famílias circenses vivem uma vida nômade, foi criada uma lei que obriga as escolas municipais e estaduais de todas as cidades do país a receberem os alunos, mesmo quando não há mais vagas. Bacana, não é mesmo?

Companhias mais famosas

O primeiro circo moderno, do jeito que a gente conhece hoje, foi fundado em 1768 por Philip Astley, um sargento da cavalaria britânica que circulava pelas ruas da Inglaterra se apresentando com o seu cavalo. Com o passar do tempo, ele montou uma arena coberta para fazer seu espetáculo, que incluía alguns palhaços.

Mais de 200 anos se passaram, e a arte circense continua encantando as pessoas no mundo todo. Além do Cirque du Soleil, outras companhias mais famosas são: Circus Oz, Circo de Moscou, Circo Gran Fele e Circo Stankowich.

E aí, agora que você já sabe algumas curiosidades sobre a arte circense, que tal correr para o circo e conferir uma apresentação super bacana? Aproveite as ofertas do Peixe Urbano e divirta-se!

Leia também

Curiosidades sobre  a arte do mágico