Conheça as curiosidades sobre o trigo, mocinho para uns e vilão para outros

Dia do Trigo

Mocinho para uns e vilão para outros, o trigo é o mais tradicional ingrediente na produção de pães, massas, bolos, biscoitos, entre outros alimentos. O cereal é o segundo mais produzido no mundo, perdendo apenas para o milho. E como em 10 de novembro se comemora o Dia do Trigo, a equipe do Peixe Urbano selecionou algumas curiosidades para você saber mais sobre ele. Confira:  

Origem

A origem do uso do trigo é cercada de lendas. Dizem que grãos do cereal foram encontrados, em jazigos de múmias e nos tijolos da pirâmide de Dashur, no Egito, construída há mais de três mil anos antes de Cristo, entre outros lugares do mundo. O que se sabe, de fato, é que o cereal é cultivado há pelo menos 6 mil anos. Antigamente, para melhor aproveitamento da farinha, ele era triturado com uso de pedras rústicas.  

Chegada no Brasil

O trigo foi trazido para o Brasil pelos portugueses no século 16, durante o período colonial. Na época, começou a ser cultivado na região central do país. Depois, a produção migrou para o Sul, devido ao clima e do solo. Em meados do século 18, o trigo quase desapareceu do território nacional, por conta das epidemias de ferrugem (pragas que atingem as lavouras), das guerras e da abertura dos portos às nações europeias.

Em 1824, dois anos após a Independência do Brasil, chegaram os alemães que mantiveram o trigo nas colônias germânicas do Rio Grande do Sul. Depois, em 1875, um novo impulso na produção de trigo no Brasil foi dado pelos italianos. Atualmente, o país produz milhões de toneladas do cereal.

Benefícios e malefícios para a saúde

Quando o assunto é alimentação, tudo em excesso ou em falta pode fazer mal. E isso também vale para a ingestão do trigo. O cereal faz parte do grupo dos carboidratos responsável por fornecer energia ao corpo, função essencial ao organismo no dia a dia. Também tem fibras alimentares, magnésio, vitaminas E e do complexo B, Zinco, além de liberar a serotonina, que proporciona bom-humor. A falta de carboidratos pode levar ao mau hálito, desmaio, dor de cabeça, tremor entre outras situações desagradáveis.

Por outro lado, o consumo exagerado pode acarretar acúmulo de gordura e, consequentemente, de peso. Isso porque o carboidrato vira açúcar, ou seja, caloria. E quanto mais açúcar, mais desacelerado ficará o metabolismo. Também pode causar hipertensão, mucosidade e diabetes. E quem tem intolerância ao glúten deve ficar longe do trigo, assim como do malte, da cevada, da aveia e do centeio.

Existem três tipos de carboidratos:

Monossacarídeos: apresentam as glicoses, encontrada no mel, na batata e nas farinhas, por exemplo; a frutose, que é o açúcar das frutas; e a galactose, que está presente no leite e seus derivados.

Dissacarídeos: também são conhecidos como oligossacarídeos e se encontram na sacarose, composta pelo açúcar branco, por exemplo; maltose, obtida através de alguns cereais como a cevada; e a lactose, que é o açúcar do leite — aquele que muitas pessoas apresentam alergia ou intolerância.

Polissacarídeos: compostos pelo amido, presente em grãos e cereais como o trigo, arroz e batata, e pela celulose, presente em frutas, legumes, hortaliças, nozes e cascas de sementes.

E esses tipos de carboidratos são divididos em dois grupos:

  • Simples (carboidratos de alto índice glicêmico): são encontrados em alimentos feitos com farinha refinada como pão francês, macarrão, arroz branco, alguns legumes e frutas, entre outros. E na absorção do organismo, eles são rapidamente transformados em glicose. Uma parte dessa substância é transformada em energia e o excedente, em gordura localizada.
  • Complexo (baixo índice glicêmico): ricos em fibras, frutas, hortaliças, brotos e alimentos feitos com farinhas integrais, que são menos processadas. Esses carboidratos possuem estruturas que retardam o processo de digestão e absorção, aumentando de forma gradual o nível de açúcar no sangue. Isso evita o acúmulo de gordura localizada e proporciona mais saciedade ao organismo.

Trigo na cerveja

Atualmente na moda, a cerveja de trigo foi uma das primeiras a serem criadas, sabia disso? E dizem que foi por puro acidente. Há relatos de que no início do desenvolvendo das primeiras técnicas de cultivo de grãos, o trigo era armazenado em vasos durante a colheita. Um dia, sem querer, um grupo de agricultores esqueceu alguns dos vasos ao relento, e a chuva fez com que os grãos de trigo germinassem. Depois foram secados pelo sol e molhados novamente, dando início ao processo de fermentação.

E aí, conhecia essas curiosidades sobre o trigo? Já que falamos tanto sobre o assunto, que tão aproveitar pratos deliciosos feitos com o cereal? Confira as ofertas do Peixe Urbano e mate a vontade de comer esse prato maravilhoso.

Leia também:

Como diferenciar os tipos mais famosos de massas

10 sabores de pizza inusitados encontrados pelo Brasil

Cenas clássicas de pizza no cinema e na TV