Curiosidades sobre a feijoada, iguaria irresistível

A feijoada dispensa apresentações, não é mesmo? A combinação perfeita de carne de porco com feijão preto ainda ganha acompanhamentos irresistíveis: couve, farofa, rodelas de laranja e arroz branco. É um dos pratos mais famosos da culinária brasileira. Porém, há muitas dúvidas a respeito dessa maravilha gastronômica. Uma delas é quanto à origem, pois ninguém sabe ao certo se foi um quitute criado pelos escravos ou pelos portugueses, por exemplo. Por isso, resolvemos listar algumas curiosidades para você se apaixonar ainda mais pela iguaria.

Criação da feijoada

Alguns historiadores dizem que a feijoada foi criada no Brasil no período da escravidão, quando os escravos recebiam as partes menos nobres do porco, como orelhas, rabos ou pés. Eles então juntavam esses os pedaços rejeitados e cozinhavam com feijão, adicionando água, sal e pimentas. Outros afirmam que, em Portugal, a feijoada tinha uma versão conhecida como cozido. Há relatos, no entanto, de que a mistura de feijão com carnes, legumes e verduras é conhecida desde os tempos do Império Romano. Enfim, o que sabemos mesmo é que é um prato incrivelmente maravilhoso!

Colheita do feijão

No início dos anos 1900, a feijoada já era um prato bastante conhecido no Brasil e, na época, havia uma divisão de tarefas para preparar a iguaria. Os homens cuidavam dos porcos e de abatê-los, enquanto as mulheres eram as responsáveis por plantar e colher o feijão. Sabia disso?

Função da laranja

Um ícone especial da feijoada, a laranja foi incorporada ao prato logo no início de sua criação. Na época, o motivo seria para evitar escorbuto, doença que provoca hemorragia nas gengivas pela carência de vitamina C. Tempos mais tarde, estudos provaram que a fruta possui substâncias que facilitam a digestão e a absorção do ferro presente no feijão.  

Dia de feijoada

Existe um dia certo para comer feijoada? A tradição dos dias é uma herança dos portugueses, que têm o costume de associar pratos aos dias da semana. Com isso, às quintas e domingos são dias de apreciar um cozido. Às sextas, dia de peixe, devido ao catolicismo que pede para evitar comer carne vermelha às sextas. Seguindo essa cultura, a feijoada seria ótima pedida às quartas e aos sábados. Porém, nem toda regra deve ser seguida. Então, para a gente qualquer dia de comer feijoada.

O prato em versos

Em seu poema “Feijoada à Minha Moda”, o cantor e compositor Vinicius de Moraes versou sobre a feijoada, retratando ao final a cena de difícil digestão do prato:

“Que prazer mais um corpo pede/ Após comido um tal feijão?/ — Evidentemente uma rede/ E um gato para passar a mão…”  

Muito bom, né?!

Carnes salgadas

Os historiadores afirmam ainda que antigamente as carnes da feijoada eram frescas e não salgadas como são atualmente. Quem disseminou essa técnica no Brasil foram os bandeirantes, sertanistas do período colonial. Além do sal, eles adicionavam farinha ao quitute para reforçar a alimentação durante suas exaustivas viagens. Isso, talvez, explique o acompanhamento da farofa na feijoada que a gente conhece.

Deu aquela vontade de comer uma feijoada? Então aproveite as ofertas do Peixe Urbano e tenha ótimas experiências.