Compras via celular ganham o Grande ABC (Diário do Grande ABC)

por Marina Teodoro

diario
O conforto de fazer compras sem sair de casa é algo que já caiu no gosto do brasileiro. Mas quando isso pode ser feito em qualquer lugar, a qualquer hora, fica ainda melhor. Prova de que essa situação tem feito sucesso, principalmente entre os moradores da região, é que até 60% das vendas efetuadas pelo comércio por meio de sites de compras coletivas hoje no Grande ABC são feitas por meio do celular.

A febre das compras coletivas nesses modelos de portais, começou em 2010, mas após cinco anos, os hábitos de consumo mudaram, e com isso, essas ferramentas também passaram a se adaptar. As plataformas também foram desenvolvidas para serem acessadas pelo celular, por meio de aplicativos ou espaço especial para mobile, o que impulsionou o formato.

Em agosto deste ano, 57% das vendas do Peixe Urbano no Grande ABC foram feitas pelo aplicativo mobile, colocando a região entre as líderes na transição do chamado e-commerce, o comércio eletrônico, para o m-commerce, comércio eletrônico feito por meio de dispositivos móveis (sem fio). Esse percentual é o sétimo mais alto, considerando todo o território brasileiro, ficando atrás apenas de São Paulo, Guarulhos, Vitória, Alphaville, Florianópolis, e Rio de Janeiro.

“É uma transformação grande pensar que sempre fomos chamados de site e hoje podemos dizer que somos uma empresa mobile”, declara Alex Tabor, co-fundador e CEO do Peixe Urbano.

Para a corretora de seguros Renata Teodoro Baptista, 34 anos, de Santo André, os sites de desconto são uma ótima opção para aproveitar ofertas e otimizar o tempo. “Compro bastante e gosto de usar em diversos setores, principalmente com lazer, como boliche ou parques de diversões”, comenta ela.

Usuária dos sites há bastante tempo, Renata preferia o computador, mas agora já migrou para o smartphone. “Já fiz algumas compras pelo celular, e gostei, afinal eu adoro uma promoção!”

Hoje, as compras feitas pelos dispositivos móveis, que podem ser smartphones ou tablets, são o principal canal de vendas da companhia, com 51% dos negócios. O número triplicou em um ano, quando esse percentual era de 16% em 2014.

Quem também comemora a transição é o Aproveita ABC, site pioneiro no mercado de compras coletivas voltado para a região. Com cinco anos de existência, a marca já tem 60% das compras feitas por meio do aplicativo no celular.

“Um dos motivos para o crescimento da empresa, e para a duração dela até hoje apesar das transições tecnológicas e econômicas da região, é a mudança e adaptação a todas as mídias”, afirma o diretor geral e um dos sócios, Bruno Morozini, 30, morador de Santo André.

Segundo um estudo recente da Criteo, empresa de tecnologia especializada em publicidade digital, vendas por dispositivos móveis representaram 14% do e-commerce brasileiro no segundo trimestre de 2015. A pesquisa aponta que o percentual ainda está abaixo da média mundial, de 34%. Entretanto, a estimativa é que até o fim do ano o Brasil deverá atingir 22% dessa cota, enquanto globalmente a média será de 40%.

TRANSIÇÃO – O antigo modelo de compras coletivas também passou por transições. O que a maioria dos sites fazia era apresentar uma oferta, com tempo limite para compra, porém essa oferta só valeria se atingisse um número mínimo de compradores, por isso o nome de “compras coletivas”.

Hoje, esse modelo já não é mais utilizado. A quantidade de oferta aumentou, e o número mínimo não é mais necessário. “Não fazia sentido, pois quase todas as ofertas batiam esse valor e percebemos que o que era mais importante era ter um número máximo para garantir a qualidade e um fluxo constante e controlado de novos clientes para os nossos parceiros” afirma o representante do Peixe Urbano.

Hoje o Peixe Urbano conta com mais de 10 mil promoções no ar, além de investir em estratégias focadas no mobile, destacando as promoções mais próximas do usuário.

O diretor do Aproveita ABC também acredita que devido às adaptações os clientes se mantêm fieis. “No ano passado crescemos cerca de 18%, e a expectativa é de fechar 2015 com 25% de crescimento, atingindo a marca de R$ 3 milhões em faturamento.”

CRISE – Apesar do momento pouco favorável para o mercado neste ano, a dificuldade financeira do consumidor pode ter influenciado no aumento das compras nos sites que oferecem descontos. “As ofertas têm sido uma ótima alternativa às pessoas que querem continuar aproveitando o melhor da região gastando menos”, justifica Morozini.

Além de traçar um perfil de descontos na cidade, essas plataformas têm ajudado estabelecimentos a se manterem. “Nosso modelo de trabalho é assim: o comerciante não tem nenhum custo inicial para anunciar, diferente do que teria com propaganda em outros meios. Porém, a cada cupom adquirido por um cliente, recebemos um percentual”, explica o diretor do Aproveita ABC.

Os setores que mais fizeram sucesso neste ano no site foram o de beleza e o de bares e restaurantes.

Fonte: Diário do Grande ABC, 30/11/2015

diário jornal