Entenda por que as startups de Florianópolis têm ganhado tanto destaque no mercado

Hubify

Sabemos que um dos pontos fortes da tão famosa Ilha da Magia é o Turismo. Conhecida por suas paisagens paradisíacas e praias incomparáveis, Floripa vem se destacando também em outro setor: o crescimento e desenvolvimento de startups.

Considerada uma das cidades mais empreendedoras do país, ganhou a fama de Ilha do Silício, justamente por fomentar o desenvolvimento tecnológico e o crescimento de investidas no mundo dos negócios.

Mas essa conquista não veio à toa e nem da noite pro dia. O ponto de partida para que isso acontecesse começou há mais de 30 anos, com o investimento em tecnologia, quando houve a implantação da Universidade Federal de Santa Catarina, em 1960, que hoje é referência no Brasil.

E é para que você conheça os encantos dessa cidade empreendedora e como suas startups têm ganhado grande visibilidade no mercado, que desenvolvemos o artigo de hoje!

Então pegue o seu caderninho de boas ideias, aquela xícara de café, e continue a leitura!

Ilha do empreendedorismo

A Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia (Acate), estima que, hoje, Florianópolis abriga mais de 900 empresas no setor tecnológico, que juntas trazem um faturamento de mais de R$ 5 bilhões, ultrapassando o valor arrecadado com o turismo, por exemplo.

Isso se torna ainda mais relevante pelo forte apelo às atrações turísticas que a ilha tem. Ou seja, até a característica mais enraizada na tradição da cidade tem “perdido” espaço para a força das startups.

Por esses e outros motivos, a cidade vem crescendo e ficando em evidência no mercado e até entre os mais exigentes investidores.

Reflexo disso foi ser eleita em 2017, pela terceira vez consecutiva, como a segunda cidade mais empreendedora do país, segundo o Índice de Cidades Empreendedoras, feito pela Endeavor Brasil.

Neste quesito, Floripa perdeu apenas para São Paulo, que, apesar de receber o maior volume de investimentos do país, mantém um crescimento constante, e não acelerado como o que vive a cidade catarinense.

O maior volume de Startup do Brasil

Segundo a Associação Brasileira de Startups (ABStartups), a maioria das Startups no Brasil estão concentradas em São Paulo (41%), Minas Gerais (12%) e Rio de Janeiro (9,7%).

Apesar disso, quando consideramos a proporção do número de startups em relação ao número de habitantes, é Florianópolis que se destaca.

Boa parte das empresas estão localizadas na chamada “Rota da Inovação”, nome dado à Rodovia SC-401, que antes ligava apenas o centro da cidade às praias, e, hoje, serve como conexão às localidades das principais startups de Florianópolis.

Essa via foi inaugurada em 1972, mas só começou a ser ocupada pelas empresas nos anos 90 após iniciativas entre setor público e privado para povoar a região.

O primeiro fruto dessa ação foi o Parque Tecnológico Alfa, que teve terrenos vendidos por licitação para empresas de tecnologia, entre elas a Celta, pioneira incubadora que veio para ajudar as empresas a se desenvolverem em seus primeiros passos.

Uma das startups que passaram por lá foi a Resultados Digitais, atualmente referência na sua área de atuação.

De Floripa para o mundo

Por falar em Resultados Digitais, aqui vale uma citação especial à startup fundada em 2011. Isso porque a RD é um case de sucesso também no mercado do Marketing Digital, principalmente pelo desenvolvimento da famosa RD Station, um dos principais softwares de Marketing Digital do país.

E desde sua fundação, a startup também se destaca por fomentar inovações, oferecer conteúdos para educar o mercado – como materiais gratuitos que temos também aqui na Hubify – e, consequentemente, se tornar uma das autoridades no assunto no país..

E não para por aí: além de tudo isso, a RD tem iniciativas importantíssimas, como o RD Summit , o maior evento de Marketing Digital e Vendas da América Latina (e que está rolando nessa semana, entre os dias 07 e 09).

A edição de 2017 foi um marco de inovação, o que traz ainda mais expectativas para o que vai acontecer durante o evento em 2018.

Tamanho investimento em inovação tem se justificado pela fama da startup não somente em solo brasileiro: no ano passado, a Huffington Post citou o Summit como uma das maiores conferências de marketing do mundo (o único evento da América Latina citado na matéria); e, em 2018, a RD iniciou seus projetos de expansão internacional, com escritórios na Colômbia e no México (arriba!).

Inovação que atrai inovação

Além de ser a cidade natal de várias startups, Florianópolis também  trouxe empresas de outros Estados do Brasil.

Um grande exemplo disso, foi a transferência de operações da Peixe Urbano para a capital de Santa Catarina. A empresa carioca decidiu apostar na mudança justamente por querer fazer parte do promissor ecossistema tecnológico da cidade.

A mudança, como muitas outras, visaria um (re)encontro com o espírito empreendedor e desenvolvimento do capital humano da empresa, principalmente por estar, agora, em um centro que tem recebido muita atenção do mercado.

Fatores como a excelente qualidade de vida o cenário de inovação oferecidos pela cidade também têm sido determinantes.

Inspiração que vale milhões

Enfim, o que não restam são motivos para Florianópolis receber novos olhares. Isso justifica o fato de a cidade ser o local em que o número de aportes vindos de fundos de capital de risco mais cresce nos últimos tempos.

Novos negócios significam novas formas de investimento, que, por sua vez, significam novos caminhos para o desenvolvimento do mercado e do potencial de retorno das empresas investidas. Todo mundo sai feliz e o mercado continua em expansão.

E na ilha existem até uns bons exemplos de startups que não chegaram aos caminhos dos investimentos, mas que valorizaram tanto suas ideias, que despertaram o interesse de compra de alguns grupos.

Um ótimo exemplo é a Decora, startup que nunca havia recebido investimento de fundo, mas que esse ano foi vendida por R$ 100 milhões para a americana CreativeDrive. Depois da venda da 99 para a chinesa Didi Chuxing, esse foi o segundo maior negócio nacional do ano envolvendo empresas de tecnologia.

O que valeu – e muito – para a Decora e tem sido uma grande arma de muitas startups que têm encontrado o caminho do sucesso é justamente a “ousadia” de buscar novos e grandes negócios, provando como a valorização de ideias pode gerar empreendimentos sustentáveis e de grande expressão no mercado, mesmo que em “estágios iniciais” de sua vida.