Peixe Urbano conduz Brasil ao topo do mundo das startups (Veja.com)

Por Rafael Sbarai

9. Veja.com_dentro

Na última terça-feira, o mercado brasileiro das startups – empresas que, apesar do fluxo de incertezas, buscam inovação e modelo de negócio escalável – ganhou reconhecimento internacional. O site de compras coletivas Peixe Urbano desbancou os favoritos finlandeses da Rovio, criadores do popular jogo Angry Birds, ao faturar o prêmio Crunchies de ‘melhor startup internacional’, considerado o Oscar do setor nos Estados Unidos. Criado em 2010 por três brasileiros que, na época, estudavam na respeitada Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, a empresa já conta com mais de 1.000 funcionários – um terço do que é, hoje, o gigante Facebook –, vendendo mais de 12 milhões de cupons disponíveis em 80 cidades do Brasil. Por telefone, o presidente da companhia, Julio Vasconcellos, se mostrou surpreso com a conquista, revelou a intenção de recrutar estudantes de universidades americanas, além de reconhecer a necessidade de reavaliar o atendimento ao consumidor – segundo levantamento do Procon, o setor do sites de compras coletivas respondeu por 767 reclamações entre os meses de janeiro e setembro de 2011. “Para solucionar o problema, o antídoto é fazer com que todos os funcionários atuem, por um dia, no serviço de atendimento ao cliente”, revela. Confira a entrevista a seguir:

A que você atribui a vitória do Peixe Urbano? O favoritismo era dos profissionais da Rovio, criadores do Angry Birds, mas fiquei surpreso com a seleção dos jurados. Acredito que o pioneirismo no setor de compras coletivas no país e a importância que o Brasil adquiriu nos últimos anos contribuíram para a conquista do prêmio. Essa vitória mostra que conseguimos criar uma nova geração de startups com grandes chances de prosperar em território nacional.

Com a conquista, qual é o vínculo que vocês pretendem manter com o Vale do Silício?Dias antes de participarmos do evento, dois de nossos profissionais realizaram encontros de recrutamento em quatro universidades americanas: Stanford, Berkeley e o Instituto de Tecnologia da Califórnia. Nosso objetivo é disseminar os princípios da empresa, além de buscar a contratação de desenvolvedores. Ao todo, mais de 100 pessoas demonstraram o interesse em trabalhar conosco no Brasil. Na próxima semana, estaremos no MIT (Massachusetts Institute of Technology) para uma conversa com estudantes da instituição.

Apesar do sucesso dos sites de compras coletivas, o setor apresenta problemas com o consumidor. Qual é a solução que o Peixe Urbano apresenta a seus usuários? O segmento carece de soluções, mas colheu uma fama que não lhe convém. No Peixe Urbano, o número de reclamações é pequeno se comparado ao número de bilhetes vendidos. Apesar disso, reconhecemos algumas falhas e já há projetos em desenvolvimento para dar fim a esse ruído. Há alguns dias, por exemplo, todos os diretores da empresa passam por um treinamento no SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor), com o objetivo de saber quais são os reais problemas que incomodam nossos clientes. A expectativa é que todos os funcionários executem a mesma tarefa.

Há mais de um ano, o Luciano Huck se tornou acionista minoritário. Hoje, qual é o papel do apresentador na empresa? Luciano é um investidor estratégico com um conhecimento de comunicação que impressiona. É um profissional que agrega e posiciona o Peixe Urbano em mídias tradicionais, como rádio e TV. Além disso, é um personagem que consegue propagar nossa marca com maior velocidade.

O que esperar do Peixe Urbano em 2012? Nosso foco é inovar e diminuir consideravelmente os problemas com consumidores do site. Outra meta é apostar em mais serviços distribuídos em plataformas móveis, além de executar planos para desenvolvedores produzirem serviços atrelados ao nosso site.

Você trabalhou no Facebook. Quanto conseguiu lucrar com oferta pública de ações na bolsa (IPO)? (Risos). Deixei a empresa sem faturar.

Fonte: Veja.com, Coluna Vida em Rede, 06/02/2012