Peixe Urbano muda o foco e torna-se um Shopping de Ofertas (Jornal Diário do Comércio)

Portal espera crescimento de 30% nas vendas

 

“Desde que se transformou em um verdadeiro shopping de ofertas, o Peixe Urbano vive o dilema de para qual dos parceiros dar mais destaque em sua página inicial. A solução parece ter sido encontrada pelos administradores do portal de compras. Eles criaram ferramentas para definir a categoria de interesse dos usuários e, assim, destacar sempre as ofertas que se enquadram no perfil daquele cliente. Essa é uma das inovações do Peixe Urbano para 2014. Recentemente, a empresa anunciou parceria com a plataforma Foursquare para serviço de geolocalização. Com a implantação das novidades, o portal espera crescimento de 30% nas vendas deste ano sobre o exercício passado.

As informações são do gerente comercial do Peixe Urbano, Leandro Castro. A categorização das ofertas está disponível no site desde o dia 2 de abril. Elas estão divididas em quatro categorias: Comer & Beber, Diversão, Beleza & Bem-Estar e Comércio & Serviços. Ele explica que a plataforma consegue traçar as preferências do usuário de três maneiras. A primeira delas é por preenchimento proativo de um cadastro de interesses. “Nesse caso, o próprio usuário sinaliza quais são os interesses dele no site”, diz. A segunda é pelo histórico de compras de cada usuário. “Nós conseguimos verificar as compras que ele já fez e quais foram as ofertas compradas. Assim, traçamos um perfil dos interesses”, afirma.

A terceira maneira é pela navegação do usuário na página. Mesmo que ele não faça compras, se clicar em uma oferta, a informação fica registrada e, assim, os administradores conseguem traçar um perfil dos interesses. “Com essas três ferramentas conseguimos ser mais assertivos na hora de destacar uma oferta para um ou outro usuário”, observa Castro. “É criada toda uma estratégia para dar destaque àquilo que realmente interessa a ele”, completa. Essa categorização das ofertas é somente mais uma das apostas do Peixe Urbano para este ano. A maior parte delas talvez seria o serviço móvel”.

 

Fonte: Jornal Diário do Comércio, Negócios. Belo Horizonte, 04/04/2014

matéria cortada para interno