Smartphone ganha espaço no e-commerce brasileiro (Diário do Nordeste)

Com a queda nas vendas, os estabelecimentos comerciais têm buscado alternativas para chegar ao consumidor. Os canais de comércio eletrônico têm sido cada vez mais importantes para o varejo. E, dentro do ambiente virtual, as plataformas móveis vêm ganhado espaço na preferência do consumidor.

Em setembro, o Peixe Urbano, maior empresa brasileira de e-commerce, registrou 51% de participação de vendas por meio do celular, que pela primeira vez se tornou o principal canal de vendas da companhia.

Em Fortaleza, a participação das vendas feitas pelo aparelho foi de 52%, fazendo com que a Capital figurasse entre as cinco cidades brasileiras com maior volume de vendas pelo meio, segundo ranking do Peixe Urbano de agosto. “A gente vê Fortaleza com um perfil de consumo muito próximo de Brasília ou Rio de Janeiro”, diz Leandro Castro, diretor regional do Peixe Urbano para o Nordeste.

Em agosto, as vendas brutas do Peixe Urbano em Fortaleza tiveram crescimento de 120%, comparado com agosto de 2014. O número de cupons vendidos aumentou 244%, no mesmo período, enquanto a quantidade de ofertas cresceu 73%.

Plataforma móvel

Além de traçar um perfil dos descontos e dos consumidores, a plataforma tem ajudado os estabelecimentos na crise. Para Castro, um dos grandes benefícios do uso de smartphones como canal de venda é a possibilidade de o varejista estar literalmente mais próximo do seu público, já que o aplicativo utiliza dados da localização do usuário para enviar ofertas. “Com o aplicativo, a gente consegue atingir o alvo com mais precisão, com as ferramentas de localização, além de informações sobre o perfil de compra do consumidor, o que é muito mais eficaz do que enviar e-mails”, diz Castro.

Diante destas possibilidades, a tendência, no setor de e-commerce, é desenvolver cada vez mais aplicativos voltados para smartphones. Em 2014, o Peixe Urbano tinha cerca de 3,2 mil ofertas publicadas simultaneamente. Hoje, com o aumento das plataformas móveis, são mais de 10 mil ofertas simultâneas.

“O grande trunfo é gerar para os nossos parceiros a possibilidade que eles tenham um ganho de frequência dos usuários. Porque em um momento de crise os preços afastam os consumidores”.

Entre os segmentos que podem se beneficiar das vendas online, Castro destaca o de alimentação fora de casa. “Sem dúvidas no momento de crise esse segmento se retrai. A gente dá ao usuário promoções e campanhas para não frear esse consumo”, diz. “A experiência (de compra) pelo smartphone é melhor. A venda é mais rápida”.

Brasil

O número de vendas pelo celular registrado em setembro no País é mais que o triplo do que era há um ano, quando representou 16% das vendas do Peixe Urbano, e mais de 12 vezes superior ao que era há 2 anos.

Para a empresa, esse crescimento representa uma tendência mundial. A participação de mercado da empresa no Nordeste (internet e dispositivos móveis) é de 82%.

Fonte: Diário do Nordeste, 27/11/2015

 

diário