Veja como viajar nas férias de julho gastando pouco

Extra | Letycia Cardoso e Patricia Valle

Um dos períodos do ano mais procurados para viagens é julho, por causa de férias escolares. Como consequência, por ser alta temporada, os pacotes e as passagens nesta época ficam bem mais caros. No entanto, com planejamento, é possível passear com a família sem pagar tanto.

De acordo com um levantamento feito pelo Skyscanner, buscador global de viagens, o dia mais barato para comprar passagens de avião é hoje, dia 9 de junho, quando a economia chega a 29%, em relação a compras que vierem a ser feitas no próximo dia 28 de junho. Se não for possível efetivar a compra neste domingo, o consumidor também conseguirá encontrar bons preços na terceira semana deste mês, mais precisamente entre os dias 16 a 23. Para garantir economia, o ideal é fechar a compra dos bilhetes com até 15 dias de antecedência.

Entre os destinos nacionais mais buscados estão: São Paulo, Fortaleza (CE), Recife (PE) e Salvador (BA). O estudo ainda mostra que voar no dia 26 de julho pode ser até 35% mais barato do que embarcar no dia 14. A gerente de Comunicação e Marketing do Skyscanner, Tahiana Rodrigues, aconselha o consumidor a criar um alerta de preços em sites de passagens, que notificam por e-mail ou celular, para pagar menos.

Pesquisar o local mais em conta para viajar é importante mas, ao chegar no destino, é preciso manter o mesmo foco. Em clima de férias e relaxamento, é fácil acabar gastando mais do que deveria durante os passeios, principalmente no cartão de crédito.

— É importante analisar as finanças antes de sair de casa e ver o quanto é possível gastar sem se enrolar na volta. Estipule um limite de despesas e não o extrapole. As férias acabam, e os boletos recorrentes somados às despesas da folga chegam — disse Paula Sauer, economista e especialista em finanças comportamentais.

A alimentação em restaurantes também pode elevar consideravelmente o custo da viagem. Por isso, a economista sugere, como alternativa, escolher hospedagens que tenham algum tipo de estrutura para preparo de refeições, a exemplo de hostels ou casas de aluguel por temporada:

— É bem gostoso se sentar num restaurante com vista bonita e experimentar um prato típico. Mas, se o dinheiro está curto, não faça isso em todas as refeições. Comprar produtos no supermercado local sairá bem mais barato.

Promoção para quem vai de ônibus

Uma opção bem mais em conta para viajar, principalmente para perto de casa, é ir de ônibus. As empresas de transporte intermunicipais e estaduais estão fazendo promoções para quem comprar as passagensdas férias de julho com, pelo menos, sete dias de antecedência.

O bilhete de ida do Rio de Janeiro para São Paulo custa a partir de R$ 40 (ônibus convencional e executivo). Para Belo Horizonte (MG), um trecho sai a partir de R$ 99,99 (convencional e executivo). Com destino a Vitória (ES), a viagem em veículo semileito custa a partir de R$ 94,99; e em convencional, a partir de R$ 109,99. No caso de embarque para Aparecida (SP), a passagem de ida é vendida a partir de R$ 58,55.

A assessoria de comunicação da Rodoviária do Rio de Janeiro S/A, empresa que administra a Rodoviária do Rio, ratifica que os valores de promoções informados na reportagem apenas valem para compras no site oficial da Rodoviária do Rio www.rodoviariadorio.com.br.

Segundo a Viação Util, as linhas rodoviárias regionais apresentaram um aumento de demanda no último mês, principalmente nos locais atendidos apenas pela companhia aérea Avianca.

— A empresa ainda não pode afirmar que seja um efeito direto da Avianca, porém, aposta na vinda do cliente aéreo com serviços diferenciados, como assentos mais confortáveis, maior frequência de horários e viagens, e preço incomparavelmente menor do que os das passagens aéreas — disse Leticia Pineschi, gerente de Marketing da Util.

Para atender a um aumento de demanda de 20% com destino a Brasília (DF), a companhia lançou uma linha partindo do Rio. O preço de lançamento é a partir de três parcelas de R$ 49,60, válido para todos os canais de venda.