Curiosidades sobre o Frevo

Sombrinha colorida nas mãos e pernas se entrelaçando num ritmo frenético: peculiaridades sobre a dança pernambucana

Com influências da marcha, da polca, do maxixe e de movimentos da capoeira, o Frevo tem um dia dedicado a ele: 14 de setembro. O dia é referência ao aniversário do “criador” do termo, que deriva da palavra ferver: o jornalista Oswaldo Oliveira, que nasceu em 1882. 

Com passos tão rápidos e pés que parecem causar efervescência, a dança teve origem por volta de 1910 em Recife, capital pernambucana. Para celebrar o Dia do Frevo, o Peixe Urbano reuniu 5 curiosidades sobre a dança pernambucana. Confira:

Patrimônio Imaterial da Humanidade

Em dezembro de 2012, o frevo foi instituído Patrimônio Imaterial da Humanidade pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura). O ritmo já tinha o título de Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro desde 2007, ano do seu centenário, quando também foi inscrito pelo Iphan no Livro de Registro das Formas de Expressão.

Primeiro ritmo criado para o carnaval

O arranjo pernambucano foi o primeiro gênero musical criado no Brasil especialmente para o carnaval, segundo o Dossiê do Registro do Frevo como Patrimônio Cultural do Brasil, realizado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Tipos de frevo

Sabia que existem três tipos de frevo? O frevo de rua, frevo-canção e o frevo de bloco. Isso porque o ritmo sofreu muitas influências no decorrer dos anos e, na década de 1930, com a popularização pelos programas de rádios e gravações em disco, se dividiu. O primeiro é só instrumental e executado por uma orquestra. O segundo tem os instrumentos e também uma voz. O último, por sua vez, tem as mesmas pegadas dos anteriores, mas conta com um coro feminino.

Estandarte

Outro símbolo característico do frevo é o estandarte. Trata-se de uma bandeira com um emblema que desfila na frente dos cortejos. Vários blocos de Carnaval carregam o seu. A tradição vem da época das Cruzadas, na Idade Média, quando as missões militares e religiosas ostentavam bandeiras com símbolos de cruzes e brasões.

Paço do Frevo

Em 2014, o frevo ganhou um espaço dedicado à difusão da expressão cultural: o Paço do Frevo, em Recife. O local reúne história, lazer e formação nas áreas de dança e de música do ritmo.

Para quem ficou com vontade de conhecer o frevo, a dica é aproveitar as ofertas do Peixe Urbano e dar um pulinho em Pernambuco para apreciar a dança de perto.

Contato: imprensa@peixeurbano.com