Peixe Urbano lança o Peixe Pay, carteira digital da plataforma

  • O serviço já está disponível no Rio de Janeiro e em Florianópolis e expectativa é alcançar todo o país no começo do ano que vem
  • Método de pagamento pode ser usado por qualquer estabelecimento, independentemente de cupom

O Peixe Urbano, maior plataforma de ofertas locais do Brasil, acaba de lançar sua carteira digital: o Peixe Pay. Com a novidade, o consumidor consegue realizar pagamentos nos estabelecimentos credenciados, via QR code, usando apenas o celular. A funcionalidade garante comodidade, rapidez e uma experiência positiva tanto para clientes quanto para os estabelecimentos. 

O CEO da empresa e idealizador do projeto, Ilson Bressan, conta que “a estratégia do Peixe Urbano ao entrar no universo das e-wallets é ser reconhecido como a melhor plataforma de benefícios aos usuários e um solution provider de experiências em restaurantes e entretenimento. O objetivo é aproximar os estabelecimentos dos consumidores de maneira personalizada e prática.” 

Ainda em fase de teste, o Peixe Pay já está disponível no Rio de Janeiro e em Florianópolis como uma funcionalidade dentro do aplicativo do Peixe Urbano, e permite que consumidor possa pagar o total da conta com o smartphone, mesmo que não tenha cupom para utilizar. Basta ter um cartão de crédito cadastrado.  Ainda este ano, a plataforma vai lançar o Peixe Pay como um app separado, mais completo e focado em benefícios. A partir daí, será ampliado para todas as cidades do Brasil e demais países da América Latina: Chile, Argentina, Colômbia, México e Peru.

As próximas etapas do projeto também incluem ampliar a solução para permitir pedidos antecipados (order ahead), take-out, conta integrada para pagamento instantâneo, divisão do valor entre duas ou mais pessoas que possuam cadastro, além da possibilidade de usar os créditos das ações de cashback, – promoções onde o usuário recebe parte do valor da compra de volta.

A plataforma contará ainda com funcionalidades como conta digital e transferência entre usuários (modelo P2P), modelo de cash-in pré-pago, cartão de débito, pagamentos de contas, recarga de celular e até o cadastro de outras e-wallets como forma de pagamento.

Outra característica exclusiva do Peixe Pay é a liberdade que os estabelecimentos parceiros poderão ter com o aplicativo. “O que queremos alcançar é a possibilidade de ofertas pelos varejistas, além de descontos, promoções e até programas de fidelidade. Assim, os consumidores terão oportunidades de acordo com as preferências de compra e por tempo ilimitado”, afirma o CEO. 

O anúncio chega em um momento em que o mercado está aquecido: no último ano, diversas fintechs e bancos anunciaram as próprias e-wallets, fomentando o uso dos pagamentos digitais, que alcançou mais de 60% de brasileiros neste período. O crescimento desse meio não é novidade no exterior: a China, por exemplo, já utiliza os smartphones para transações financeiras há anos.

Para Bressan, o aumento do número de players é bastante positivo, porque impulsiona o mercado como um todo. O executivo afirma que nessa corrida, quem ganha é o cliente (usuários e estabelecimentos), que vai contar com soluções cada vez mais customizadas. “Vai sobreviver quem tiver o melhor reconhecimento e adesão da proposta de valor que está oferecendo. É uma corrida por escala, na qual, queremos colaborar e conectar com todos os demais players do mercado para oferecer ao usuário a melhor interoperabilidade entre wallets”, completa.

A previsão é que, até 2020, o Peixe Pay chegue em todo o território nacional com a maioria das funcionalidades disponíveis, estabelecendo, inclusive, sua posição entre os super-apps brasileiros. 

Como funciona

Atualmente, o consumidor já pode utilizar o Peixe Pay com ou sem um cupom na rede credenciada. O interessante é que, se ele tiver um cupom, a e-wallet simplifica o pagamento, integrando os valores do voucher e adicionais em um só lugar, também facilitando a vida do comerciante.

O reconhecimento é feito por QR Code fixo ou dinâmico no estabelecimento comercial. No modelo fixo, o usuário lê o QR code do estabelecimento, digita o valor e finaliza o pagamento. No modelo dinâmico, o estabelecimento comercial gera o QR code, o app do usuário lê esse código e realiza o pagamento. A cobrança por ora é feita em um cartão de crédito cadastrado pelo consumidor no aplicativo. Há também a possibilidade de utilizar saldos de cashback disponíveis para o usuário.

Também será implantado em estabelecimentos de alto tráfego o modelo “Scan-Pay-Take-out” (escaneia, paga, retira), com QR Code fixo e exclusivo para itens de maior venda do estabelecimento. Nele, o cliente faz o pedido e pagamento direto na carteira digital e retira imediatamente o produto, sem passar pela fila do caixa.
Confira as ofertas do Peixe Urbano e acompanhe as novidades do blog.

Contato: imprensa@peixeurbano.com